9.2 Percepção com base quantitativa

Ao fim de abril de 2020, 19 das 26 estudantes bolsistas vinculadas ao projeto desde o início desse ano responderam a um questionário semiestruturado com o objetivo de identificar, por meio de auto declarações ou situações-problema, as habilidades e conhecimentos adquiridos. O questionário está organizado em dez seções, similar à sua versão aplicada em 2019, contém questões adicionais e será repetido ao fim do calendário de atividades. Apesar da amostra não ser representativa do ponto de visto estatístico, as respostas obtidas nos permitem conhecer a realidade das estudantes, avaliar as ações realizadas e definir novas ações e estratégias visando um atingir um público ainda maior. Em relação à autodeclaração das estudantes quanto à cor da pele/raça, 95% se percebem como negras ou pardas. No que se refere à religião, aproximadamente 47% afirma ser evangélica e 30% católica. Além disso, há uma predominância feminina no lar, 90% moram com a mãe ou com a avó, em contraste com 42% moram com o pai. No que consta à dedicação de tempo ao estudo fora da escola, pouco mais de 70% não têm ocupação extraescolar. Entre aquelas que possuem ocupação, 60% fazem algum curso extra escola. 80% afirmam estudar 1h ou mais fora da escola. 56% afirmam estudar assuntos por iniciativa própria, além dos conteúdos aprendidos em sala de aula; e apenas 22% afirmam ter concluído algum curso online. Quando perguntadas o que são ciências exatas, 60% afirmam não ter certeza e apenas 37% afirmaram que possuem algum conhecimento sobre o assunto. A Figura 9.4 sintetiza as respostas relacionadas às carreiras que acreditam fazer parte das ciências exatas. Apesar da predominância das respostas incluindo Ciência de Dados, 21% acreditam que ciências exatas só envolvem problemas matemáticos. Por um lado, este resultado aponta para o não reconhecimento do uso da “matemática” aplicado a outras disciplinas ou ao seu cotidiano. Entretanto, elas reconhecem a importância da matemática para algumas carreiras nas áreas social e de saúde, como demonstra a Figura 9.5.

Profissões que estudantes creem fazer parte das ciências exatas.

Figura 9.4: Profissões que estudantes creem fazer parte das ciências exatas.

 Níveis de importância atribuídos pelas estudantes à matemática em diferentes profissões.

Figura 9.5: Níveis de importância atribuídos pelas estudantes à matemática em diferentes profissões.

Quase 70% das estudantes afirmam conhecer exemplos de mulheres nas ciências exatas. Entre essas estudantes, 60% informou ter obtido tal informação na Internet. Acredita-se que esta resposta tenha relação com as referências nas aulas propostas pelo projeto. 70% das estudantes referem conhecer pessoalmente alguma mulher que trabalha com ciência de dados e 92% desse grupo afirmam se tratar de alguma professora. 50% das estudantes acreditam ser importante ter mulheres trabalhando na área de exatas e 80% acredita que elas oferecem uma contribuição significativa para essa área. Todas acreditam que as mulheres têm capacidade para contribuir de forma equivalente aos homens. A Figura 9.6 apresenta as futuras carreiras escolhidas pelas estudantes. Pouco mais de 20% das respostas correspondem à perspectiva clássica de ciências exatas, pouco mais de 30% às carreiras ligadas às áreas de saúde.

Carreiras que as estudantes acreditam que podem seguir.

Figura 9.6: Carreiras que as estudantes acreditam que podem seguir.

No intuito de identificar se as estudantes compreendem que a Ciência de dados se articula a diversas carreiras, propusemos uma situação problema relacionando diferentes habilidades de raciocínio lógico e método científico às suas futuras escolhas profissionais. No problema, uma estudante hipotética se propõe a ajudar as pessoas a fazer um avião de papel manter-se no ar o maior tempo possível. Nesse cenário, elas adotariam as seguintes ações: Testar diferentes tipos de papel e formas de dobrar, isto é, propor uma ideia para explicar as coisas e testar se essa ideia faz sentido; Entender se existe relação entre o tempo de voo e número de dobras na folha, isto é, obter dados e ver se eles explicam um problema que se quer resolver; Escrever um passo-a-passo detalhado para quem nunca fez aviões poder fazer um igual ao seu, ou seja, fazer um conjunto detalhado de instruções para fazer uma atividade (algoritmo). A Figura 9.7 apresenta as porções de estudantes que escolheram as habilidades ou acreditam que nenhuma delas seria útil para sua carreira futura. Como elas poderiam escolher mais de uma, as barras não somam 100%. Os resultados sugerem que as estudantes têm uma noção mais ampla do que significa uma carreira envolver “habilidades das ciências exatas,” se comparada ao senso comum.

Habilidades de raciocínio lógico e método científico que as estudantes acreditam ser importantes para suas futuras carreiras.

Figura 9.7: Habilidades de raciocínio lógico e método científico que as estudantes acreditam ser importantes para suas futuras carreiras.

No tocante às desigualdades sociais, a maioria das estudantes se considera capaz de melhorar algum aspecto da condição de vida das pessoas ao seu redor, embora efetivamente não o faça (Figura 9.8). Para as estudantes, a igualdade entre raças parece ser mais importante do que a igualdade de gênero (Figura 9.9). Este aspecto precisa ser investigado, pois pode estar associado à dificuldade de entender a diferença entre igualdade e equidade, bem como a aspectos religiosos.

Nível de identificação das estudantes com afirmações sobre ações e a capacidade de trabalhar para o bem de seus pares.

Figura 9.8: Nível de identificação das estudantes com afirmações sobre ações e a capacidade de trabalhar para o bem de seus pares.

Nível de identificação das estudantes com afirmações sobre a importância da igualdade entre diferentes grupos.

Figura 9.9: Nível de identificação das estudantes com afirmações sobre a importância da igualdade entre diferentes grupos.

Para estimar a percepção das estudantes sobre sua própria tenacidade, foi utilizado um conjunto de questões advindas de um questionário já validado (Duckworth, acessado em outubro de 2020). Conforme apresentado na Figura 9.10, a maior parte das estudantes adotou uma resposta neutra em quase todas questões. Uma maioria expressiva afirmou que seus interesses mudam de ano em ano. Esta informação reafirma a importância de mantermos as ações de encantamento das estudantes. Felizmente, uma porção razoável de estudantes se identifica com as afirmações de que não se desencorajam com problemas e que já superaram alguns para conseguir algo importante.

Nível de identificação das estudantes com afirmações sobre sua 'garra', tenacidade.

Figura 9.10: Nível de identificação das estudantes com afirmações sobre sua ‘garra,’ tenacidade.

Um dos efeitos esperados das atividades do projeto sobre os estudantes é o fortalecimento das habilidades socioemocionais, a exemplo da determinação. O prolongamento da quarentena tem afetado as comunidades escolares. Diretores, professores e coordenadores relataram dificuldade em manter contato com as estudantes e seus pais e/ou responsáveis. Todavia, a equipe do Projeto conseguiu evitar a evasão dos alunos bolsistas, integrou estudantes do sexo masculino às ações e aumentou a frequência dos encontros online. A Figura 9.11 apresenta a quantidade de estudantes ativos nesses encontros (participando ou respondendo as atividades propostas).

Quantidade de estudantes ativos (presentes ou que realizaram as atividades) nos encontros semanais.

Figura 9.11: Quantidade de estudantes ativos (presentes ou que realizaram as atividades) nos encontros semanais.

A Figura 9.12 (talvez precise atualizar) apresenta o número de acessos diários ao website do Projeto. Verifica-se que este número aumentou substancialmente a partir de 10/08/20 – período caracterizado pelo aumento da quantidade de encontros virtuais com as/os estudantes (de 1 para 2 ou 3 vezes/semana), inclusão dos temas Ciência de Dados, Exploração Gráfica, Pensamento Científico e Inteligência Artificial, além da manutenção dos encontros do tema Protagonismos. Adicionalmente, vídeos passaram a ser compartilhados com professores e gestores das escolas para divulgação entre os estudantes (ao menos para aqueles com acesso a comunicação virtual). Durante as duas últimas semanas, ocorreu uma queda no acesso ao website, o que pode estar relacionado à pausa nos encontros realizadas para organização e participação da equipe e das/os estudantes na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia promovida pela UFBA. Ressalta-se, entretanto, que as presenças e participações nos encontros permaneceram estáveis em todo o período.

Número de acessos ao website do Projeto, em 10/08 o número de encontros com as/os estudantes foi ampliado de 1 para 2 ou 3 encontros semanais.

Figura 9.12: Número de acessos ao website do Projeto, em 10/08 o número de encontros com as/os estudantes foi ampliado de 1 para 2 ou 3 encontros semanais.

Com base no banco de dados do site, é possível afirmar que a maioria dos acessos ocorre utilizando-se aparelhos com sistema operacional Android (52%). Os acessos via sistema operacional de Windows representam 34% e 14% através IOS ou Linux.
Para verificar se as/os estudantes adquiriram habilidades de letramento científico e em dados, a equipe prevê aplicar um teste. Entretanto, os testes validados dessa natureza não estão disponíveis em português (LAW et. al., 2018), sendo necessário confirmar, por meio de uma pequena amostra, se o significado das perguntas é preservado nas traduções (TSANG et. al., 2017). Para contornar tais desafios, serão aplicadas questões selecionadas de testes traduzidos para o português que avaliam uma noção moderna da matemática, a exemplo do PISA (OECD, 2021) e MARS (MARS, acessado em outubro de 2020). Em paralelo, foi utilizada novamente uma questão apresentada às estudantes em um questionário ao fim de 2019 (ver Anexo 12.6). A reprodução dessa questão visa tornar os desempenhos dos alunos comparáveis, e outra nova será inclusa. Espera-se que dado o longo tempo as estudantes não tenham lembrança da questão e seu desempenho seja resultado exclusivo do crescimento no ano de 2020. Essa estratégia se ancora em um estudo de Wood (2019) no qual 130 respondentes fizeram um exame de 36 questões em duas oportunidades espaçadas e tiveram crescimento de desempenho similar para questões repetidas e não-repetidas.